segunda-feira, 25 de julho de 2011

Em Heliópolis, prefeito vistoria obras dos conjuntos habitacionais Sabesp I e Comandante Taylor

O Programa de Urbanização de Favelas da Prefeitura de São Paulo está tranformando a comunidade de Heliópolis. As favelas que predominavam no local estão dando lugar a diversos conjuntos habitacionais. A construção dos edifícios elimina as situações de risco e oferece melhor qualidade de vida para a comunidade local.



João Luiz/Secom
Em 2011 serão iniciadas as obras para mais 152 unidades

Ao final do processo de urbanização terão sido investidos R$ 569,7 milhões

Foto de João Luiz/Secom

A comunidade de Heliópolis, localizada na região do Ipiranga, Zona Sul, passa por uma radical transformação urbanística. As favelas que predominavam no local estão dando lugar a diversos conjuntos habitacionais. A mudança de cenário acontece graças à implementação do Programa de Urbanização de Favelas da Prefeitura de São Paulo. Nesta segunda-feira (25/7), o prefeito de São Paulo vistoriou duas grandes obras: a dos conjuntos habitacionais Sabesp I e a do Comandante Taylor. A construção dos edifícios  elimina as situações de risco e oferece melhor qualidade de vida para a comunidade local.

"Essas duas obras integram o Projeto Heliópolis, que prevê transformar até o final da gestão a vida de milhares de famílias. Aqui nesta região, o que era uma favela há alguns anos passou a ser um bairro urbanizado, graças a investimentos em infraestrutura (social e habitacional). Estão sendo construídas mais de 800 unidades residenciais nesses dois conjuntos, que se somarão a milhares de outros apartamentos que foram ou estão sendo construídos. Há novas escolas, AMAS e equipamentos de Assistência Social, que vão mudar a vida das pessoas que aqui moram", afirmou o prefeito.

Na área do Sabesp 1, encontra-se em andamento a construção de 390 unidades habitacionais, com conclusão prevista para dezembro deste ano. Ainda em 2011, serão iniciadas as obras para erguer mais 152 unidades na mesma área. No total, serão 29 edifícios projetados pelo arquiteto Ruy Ohtake, com 24 blocos circulares e cinco retangulares. Já no Comandante Taylor estão sendo construídas 421 unidades distribuídas em 23 edifícios. Projetado pelo escritório Piratininga Arquitetos Associados, a obra também tem término previsto para este ano.

"Os apartamentos serão ocupados por famílias que já moravam aqui em Heliópolis. Elas foram (transferidas) atendidas com o auxílio-aluguel e voltarão para uma situação de dignidade. A Prefeitura recuperou a credibilidade com as famílias da cidade. Hoje, os movimentos sociais confiam na gestão e essa é a razão de não termos nos últimos anos nenhuma dificuldade no convívio com as famílias", afirmou o chefe do Executivo Municipal, ressaltando que o mesmo processo acontece na comunidade de Paraisópolis, também na Zona Sul da capital.

Investimento

A comunidade de Heliópolis tem mais de 70 mil habitantes. O processo de urbanização no local foi iniciado em novembro de 2005 e tem previsão de término para maio de 2013. A área de intervenção é de 1 milhão de m². Está prevista a entrega de 3.851 unidades habitacionais. Dessas, já foram entregues 834. Ao final do processo de urbanização terão sido investidos R$ 569,7 milhões, provenientes de todas as esferas do Poder Público: Municipal (Secretaria Municipal de Habitação e Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infra-Estrutura - FMSAI), Estadual (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano - CDHU) e Federal (Caixa Econômica Federal).

"Os apartamentos serão comercializados pelo Fundo Municipal de Habitação e as pessoas irão adquirir as unidades. A prestação (irá de) varia de acordo com a renda (da pessoa) familiar. Cadastramos todas as famílias e elas irão pagar um percentual (que gira em torno de) de aproximadamente 15% da renda familiar", explicou o secretário municipal de Habitação, que acompanhou o prefeito na vistoria.
Secom