sábado, 5 de maio de 2012

Novas rotatórias inacabadas do Ipiranga: respeitá-las ou não respeitá-las?


CARTA ABERTA

Novas rotatórias inacabadas do Ipiranga: respeitá-las ou não respeitá-las?

                Há tempos, nós moradores e demais meios de comunicação do Ipiranga, cansamos de presenciar (ao vivo ou nos jornais do bairro) e denunciar acidentes inúmeros nos cruzamentos, sem sinalização, da nossa região. Sou leigo no assunto, mas não chego a ser tão inocente a ponto de não entender a necessidade de instalação de semáforos na maioria dos mesmos, já que contam com trânsito intenso e motorista imprudentes, principalmente em horário comercial.
                Na busca de uma solução, a CET iniciou a sinalização de alguns cruzamentos, implantando rotatórias. A meu ver, é uma medida paliativa, mas que pode resolver em alguns casos. Mas minha crítica não é à rotatória em si, mas sim, sua implantação PELA METADE! Essa não conclusão da mesma vem ocasionando alguns equívocos e dúvidas nos motoristas, criando mais situações de riscos aos motoristas que transitam pelos mesmos. Ah, e há pelo menos duas ou três semanas que vejo a rotatória em implantação no mesmo estado, somente com a pintura no chão, sem as tartarugas.
                Após assistir, de camarote, as diversas situações de riscos pelo apartamento da minha avó (na equina da Rua Manifesto X Rua General Lecor), e ouvir muitas buzinas a cada dois minutos, hoje quase fui vítima (indireta) da CET, enquanto chegava a uma visita na casa da minha avó, acompanhado da minha noiva, grávida de seis meses!
                Ao contornar a rotatória INACABADA (sem as tartarugas), imaginando que a sinalização no chão e as placas indicativas seriam o suficiente para orientação dos motoristas que lá transitam, quase fui acertado na lateral por outro veículo que vinha em alta velocidade pela mesma Rua do Manifesto. Ambos freamos o carro e, ao longe, tentei explicar que havia uma rotatória. Ele argumentou que a mesma não estava acabada e que a preferencial era dele! Após alguns segundos de bate-boca, que não levariam a lugar algum, já que não fomos nós quem fez aquela rotatória pela metade, dei uma buzinada e fui embora.
                Das duas uma: ou aquele desenho está servindo apenas de enfeite para os motoristas (assim como aqueles grafites que são feitos em épocas de Copa do Mundo e Olimpíadas), ou está realmente faltando educação por parte dos condutores. Após cair a ficha de que, devido ao inacabamento de uma obra por parte da CET, eu poderia ter sofrido um acidente e, pior, ter perdido meu primeiro bebê que está a caminho, fiquei muito indignado e achei que divulgar/compartilhar esse descaso com o trânsito no Ipiranga poderia ser uma arma para que esse tipo de violência contra os motoristas e pedestres acabe de vez!
                Peço, encarecidamente, a ajuda da imprensa local e moradores para que divulguem esta carta aberta e assim, ajude a salvar vidas, reduzir o número de acidentes e contribua para que minha avó, uma senhora de oitenta anos, possa viver e dormir em paz no seu apartamento, sem barulho de buzinas e colisões.
                
Em cooperAÇÃO
Sandro Nicodemo
Ex-Morador e Ex-Conselheiro de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz do Ipiranga (CADES Ipiranga)