quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O MAIOR MENOR ESPETÁCULO DA TERRA ESTREIA NO SESI VILA DAS MERCÊS

O MAIOR menor espetáculo dA TERRA estreia no SESI VILA DAS MERCÊS

 

Espetáculo inédito do grupo carioca Centro Teatral e Etc e Tal resgata o curioso universo de um remoto circo de pulgas. A peça estreará em 19 de agosto, com sessões gratuitas de quinta-feira a sábado.

 

São Paulo, 11/08/2010 O espetáculo O Maior Menor Espetáculo da Terra, do premiado Centro Teatral e Etc e Tal, estreará em 19 de agosto no SESI Vila das Mercês. A montagem, que comemora os 17 anos da companhia, ficará em cartaz até 9 de outubro, com cinco sessões semanais e gratuitas, de quinta-feira a sábado.

Com texto e direção de Álvaro Assad e Melissa Teles Lobo, a montagem apresenta um universo no qual um grande, mínimo, novíssimo e compacto circo de pulgas é montado. Da China Pun Ching Oo, a pulga Funâmbula; da Argentina PulGardel, a pulga bala; e da Oceania as lindas pulgas gêmeas trapezistas Pulg Lee e Pilg Luu. Além destas, há, também, uma inimaginável pulga indomável da floresta do Zimbábue. Todas estas atrações internacionais contam com talentos arrebatadores e incrivelmente trabalhados por um trio de cômicos Mestres de Cerimônias, conduzindo o público a ver o que não pode ser visto e imaginar um extraordinário mundo mambembe em miniatura.

Criado por meio de improvisações, o texto do espetáculo será baseado na interação com o espectador e no roteiro de números clássicos de um circo tradicional.

Para o diretor, este espetáculo é importante porque resgata um tipo de teatro muito popular em outras épocas e outras terras. Tradicionalmente feito por um único ator/apresentador/domador, o espetáculo é um modo encantador de arte cênica que vem sendo esquecido ao longo das décadas. “Montar no Brasil este especial tipo de teatro é um desafio instigante, no qual a mímica, a magia, o circo, o teatro popular e a engenharia cênica se encontram para levar, primeiramente, ao público paulistano uma peculiar montagem inédita e apaixonante”, conta.

Ainda de acordo com ele, uma verdadeira estrutura circense será montada no palco e na plateia: uma maquinaria em miniatura no centro de um grande picadeiro. E o figurino dos protagonistas é resultado de uma mistura de referências, como a cultural popular interiorana do Brasil, vestimentas medievais europeias e o glamour circense. O realejo, tradicional instrumento da cultura popular de praças e ruas na Europa, permeará o espetáculo e dará o tom à trilha sonora, que conta ainda com elementos percussivos da cultural nacional. Tais intervenções serão executadas ao vivo pelo atores durante o espetáculo.

 

Sobre a arte dos antigos circos de pulgas

 

O Circo de Pulgas é uma arte que teve início registrado no século XV, quando o conceito de higiene não encontrava espaço nos dicionários e nos hábitos da sociedade em geral. Incontáveis ágeis adestradores apresentavam seus shows repletos de atrações a uma plateia que conhecia bem seus “mínimos artistas”.

Durante séculos, os domadores dessas minúsculas feras eram heróis e seus espetáculos atrações prediletas e obrigatórias de uma população habituada a partilhar o corpo com estes milimétricos insetos. Seguindo esta lógica, as pulgas não encontrariam moradas em corpos alheios enquanto estivessem num circo.

 

Histórico do grupo

 

Formada em 1993, a companhia carioca é formada por três atores que desenvolvem pesquisas artísticas com base na tríade teatro-mímica-humor. Outros seis espetáculos compõem seu repertório: Fulano e Sicrano (1998) e No Buraco (2004) atendem o público adulto, enquanto Victor James (2001) e O Macaco e a Boneca de Piche (2002), Branca de Neve? (2006) e Draguinho – Diferente de Todos Parecido com Ninguém (2008), o público infanto-juvenil.

O grupo, que recebeu 32 prêmios em festivais de teatro competitivos, já participou de turnê e mostras de teatro internacionais por países da Europa e da América do Sul: Alemanha, Dinamarca, França, Portugal, Argentina e Paraguai. No Brasil, apresentou-se em cerca de 20 estados.

 

 

Ficha Técnica:

Texto e Direção: Alvaro Assad e Melissa Teles Lobo

Preparação Mímica: Alvaro Assad

Atuação: Melissa Teles Lôbo, Marcio Moura e Alvaro Assad

Cenário e Assessoria Circence: Domingos Montagner

Coreografias: Marcio Moura

Figurinos: Fernanda Sabino

Adereços: Maria Cecília Meyer e Amanda Gaiarsa (Atelier de brincadeira)

Desenho de Luz: Aurélio Oliosi

Música Original: Marcelo Pellegrini

Fotografias: Ricardo Gabriel

Montagem e Operação: Levi Leonardo

Manutenção e Apoio Operacional: Arise Assad

Produção e Realização: Centro Teatral e Etc e Tal.

 

 

SERVIÇO:

Núcleo de Montagens Inéditas - Vila das Mercês 2010

Espetáculo: O Maior Menor Espetáculo da Terra

Local: SESI Vila das Mercês - Rua Júlio Felipe Guedes, 138.

Datas e horários: de 19/08 a 9/10 – de quinta-feira a sábado. Às quintas-feiras, às 9h e 10h, às sextas-feiras, às 14h e 15h, e sábado, às 15h. Exceto dia 21/08. Nos dias 20/08 e 9/10, haverá uma sessão extra às 10h. No dia 28/08 não haverá espetáculo.

Capacidade: 70 lugares

Duração: 50 minutos

Gênero: comédia

Recomendação etária: Livre

Entrada: franca – os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início de cada apresentação.

Informações: (11) 2946-8172

 

_____________________________________________________________

SESI-SP e SENAI-SP / FIESP www.sesisp.org.br e www.sp.senai.br

Assessoria de Jornalismo Institucional